sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

[ ]

A Bibiscas está muito doente. Completa-se hoje uma semana do seu terceiro internamento depois de três dias cada um. Não come, tem de ser alimentada à força e de seringa. Não se lava, fica prostrada a maior parte do tempo. Ao menos reconhece-nos, que não faltamos uma visita; mia ao nos ver, não sei se para ralhar pelo abandono ou nos dar as boas vindas. Ronrona muito, enquanto lhe fazemos festinhas e a envolvemos em palavrinhas meigas. Mas não come, e não lhe podem dar alta sem que o faça, de livre vontade. É que se os valores da insuficiência renal crónica já estão controladas, a falta de alimento causa outras, e teme-se a falência hepática. A Miminhas está muito fraca, e triste e abatida. Foi num pulinho que aqui se chegou, dois meses apenas, e análises feitas ainda em Junho não faziam adivinhar. Não sabemos o que nos espera, apenas este buraco no meio do peito que a sua primeira ausência em quase 14 anos nos cavou é uma certeza. Alternamos a esperança perante um novo resultado animador, a notícia de que comeu 20 gramas, um ar mais animadito, e o desânimo de um outro dia de apenas sete gramas, e um cansaço persistente. Voltamos a casa todos os dias para a falta de um pelo fofo e ronronante no colo, um par de olhos luminosos à nossa espera à porta da casa de banho, uma valente espreguiçadela quando o despertador toca. Trocamos frases feitas de bons augúrios pontuadas de suspiros fundos ou simplesmente cedemos a um choro silencioso. A Patinhas está muito, muito doente, não sabemos o que aí vem, se desistiu (nós não), o que podemos mais fazer se não a já diária romaria de carinho e amor desesperado.

22 comentários:

  1. Oh, Izzie :( Muita força, e votos de melhoras para a gatinha. Não desistam enquanto houver esperança, mas sejam misericordiosos se e quando a altura o exigir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :') Estamos bem ciente de que poderá ser necessário tomar uma decisão, mas com muita esperança que não seja preciso. Ela não parece estar em sofrimento, e não dá sinal de dores (o que até estranharam, porque tem cálculos renais) apenas muito abatida.

      Eliminar
    2. Menos mal. Está só tristinha por não se estar a sentir bem. Dêem-lhe muitos miminhos :)

      Eliminar
    3. Lá isso damos, que somos uns mariquinhas de primeira.

      (o meu medo é que continue a recusar alimento e os danos se tornem irreversíveis)

      Eliminar
  2. Oh, mas que coisa :(
    Um abraço muito apertado para ti, vai correr tudo bem, vais ver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Mac. Andamos há dois meses a arrastar o coração pela lama :(

      Eliminar
  3. Um abraço apertado que sei bem o que isso é e o que custa. Mas a gente tem esperança até à última. Eu tenho sempre, pela Amélie também :)
    e a verdade é que por vezes eles nos surpreendem e melhoram. Não digo por dizer, já tive uma cadela a morrer nos braços e recuperou, sei lá como.
    Entretanto, falta de cuidados e de mimo estou certa de que ela não tem, é esperar e «rezar».
    um beijinho, Izzie.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Wallis, obrigada! Ela está a ser bem tratada e acompanhada, como os internamentos curtos em clínica não estavam a dar os resultados esperados aconselharam-nos acompanhamento em hospital veterinário. A vet que a atendeu é espectacular, há sempre um vet de serviço aos internamentos, e todo o pessoal é fantástico. E há mimos todos os dias, claro. Ontem a dra. sugeriu que sábado e domingo ela viesse passar o dia em casa, para ver se anima um pedacinho, daqui a nada vamos buscá-la, e vamos ver se ajuda :)

      Eliminar
  4. É a terceira vez que aqui venho e depois calo-me.
    Só um abracinho, mais nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Linda. Sei que tiveste uma perda há pouco tempo, infelizmente conheces bem esta angústia. Um abracinho de volta

      Eliminar
  5. Oh Izzie Maria como te compreendo...

    Acabo de tomar essa mesma decisão para o meu Snoopy José, cãopanheiro de 17 anos da minha vida. Neguei, neguei, disse que ia até ao fim com fraldas e colo e resguardos no chão e dar comida na boca e ajudar a levantar cada vez que caía - enquanto não sofresse terrivelmente de dores.

    Durante 3 semanas, firmada na opinião dos vets que achavam que já era só uma questão de lhe tentar dar um último conforto e nada mais a fazer, fui contra toda a gente que achava que dar-lhe uma injecção era a melhor coisa para aliviar o sofrimento de não conseguir andar e ser independente. Não se queixava, não parecia sofrer mais do que a impotência de querer e não poder. Disse sempre que não o mataria por ser velho. Rezei para que morresse por ele, morte santa, morte anunciada já há uns dois anos em que "qualquer dia chegas a casa e ele não respira".

    Hoje não durmo há uma semana com o choro dele. Chora porque quer levantar-se e não consegue, porque está frustrado, porque quer mimo, porque quer ajuda, talvez porque tenha dores, tem de ter dores ou estar muito desconfortável para chorar assim. Chora de noite, chora de dia, chora de vez em quando mas sempre muito sofrido. Está a desistir até de comer, coisa que ainda fazia normalmente se lho fizéssemos chegar. Tratamentos vários, um definhar muito rápido no espaço de um mês, e a previsão de que bem, a idade e o coração fraquinho fraquinho não ajudam nada e quanto às artroses das pernas nada a fazer. Paliativos poderá haver, mas melhorias afiançam-me que não.

    Hoje decidi que da próxima vez que o levar comigo ele já não volta. E estou aqui a chorar há duas horas.



    (Espero que a tua gatinha fique melhor e que ainda se aguente à bronca. Seja hoje, para a semana, para o mês que vem ou daqui a um ano ou três será sempre uma gatinha com imensa sorte por ter vivido uma vida feliz com uma família assim <3 )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, Red, que triste, que dor. Não sei o que estás a passar, mas consigo imaginar. O teu Snoopy José é um bichinho com muita sorte, que teve uma vida longa e recheadinha de amor, cuidados e carinhos. Ele saberá que fizeste tudo por ele, é fraco consolo na hora de te despedires de um amigo tão grande, mas fica com essa certeza: foi um amigo cheio de sorte. Um abraço muito forte <3

      Eliminar
  6. Tadita, pá. E não se descobre o que é? :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MC, o diagnóstico é de insuficiência renal crónica, uma doença muito comum em gatos, principalmente a partir de uma idade avançada. Um dos sintomas ou consequências é a perda de apetite e anorexia, que costuma reverter quando os níveis de ureia e creatinina baixam. Ora estes já estão aceitáveis, mas ela continua sem apetite, e como não come o organismo começa a queimar as gorduras armazenadas, o que causa acumulação de gordura no fígado, e de novo perda de apetite e náusea.
      Temos esperança que reverta, ela está a receber fluidos e medicação intravenosa, mas o facto de estar um bocadinho anémica e ser uma gatita muito dada a tristeza e depressão por afastamento da sua casinha não ajuda. Vamos ver, vamos ver. Obrigada!

      Eliminar
    2. Que dor, Izzie. O nosso gatito (gatarrão, na realidade) também passou por essa situação... insuficiência renal, perda de apetite e de peso. Resolvemos trazê-lo para casa... já lá vão quase 4 anos. Vai fazer 20, está quase cego e surdo, mas tem sempre muito miminho, colinho e a sua casinha.

      Eliminar
    3. Oh, Bels, ainda bem que recuperou, é possível viver com qualidade com esta doença, mas nesta fase inicial ela precisa de estabilizar, e ainda está toda desconchavada. Muitas festinhas nesse teu bichinho mimoso :)

      Eliminar
  7. Um beijinho para vocês e as melhoras para a bichana. Deste lado torce-se por ela. Eles têm 7 (ou 9 ) vidas, vai recuperar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Patrícia! Agora com a sonda pode ser que recupere, pelo menos alimenta-se.

      Eliminar
  8. :(

    Também venho só deixar um abracinho.

    ResponderEliminar
  9. oh Izzinha... sei tao bem o que passas... ja todos passamos. Sao os nossos filhos peludos. Sao um amor especial porque e' tao incondicional, tao animal, tao puro. Nao ha jogos, nem vergonhas, nem falsidades.

    Fico muito muito triste por saber as noticias. O meu olito ja se foi ha 5 anos e ainda tenho saudades dele, ainda lembro as escovadelas com po de talco, o acordar-me em cima da minha cabeca, como ele mordia os pes dos meus namorados quando nao gostava deles... Era melhor juiz de character do que eu!

    14 anos, a vida deu-vos um longo e lindo presente. Olha que nao e' mau. Abraco pra la do canal, e ronrons.

    xx
    nima

    ResponderEliminar
  10. Boa sorte, boa sorte, boa sorte! (Que faz sempre falta!)

    ResponderEliminar